terça-feira, 10 de fevereiro de 2009

Na dúvida, a certeza...



Sei que te sou. De algum modo, mas sou.
Sei que sou especial, diferente, singular, para ti… Sei que quando me olhas, vês a nossa magia.
Sei que, aconteça o que acontecer, eu serei sempre eu. E tu serás sempre tu. E nós.
Sei que guardas dentro de ti um nós bem nosso.
Sei que somos. Que vivemos, que amamos. Que aproveitamos cada segundo que nos sentimos. Sei que estamos.
Sei que serás. És diferente de tudo e, nisso, tão igual a mim.
Sei que fomos, somos e seremos.
E no enrolar de tantas certezas, paira uma única dúvida. E vacilo…
Será que podemos ser mais do que podemos ser?
Ninguém nunca saberá aquilo que contemplamos em nós!
Sei que te quero mais do que pensas, e que te tenho menos do que quero…
Sei que somos, nós.
E outrora as vidas se cruzaram com outras vidas, e as imagens são eternas e duram enquanto as mantemos vivas. A tua vida, a minha vida. Sempre desunidos pela realidade, mas nunca desligados da nossa história. És-me tanto…
E, agora, cada vez mais próximo te sinto… Nos sinto.

E tu, o que sabes?


Relembrei que já lá vão pelo menos quatro anos... Perde-se o tempo em mim, quando és tu!

quarta-feira, 4 de fevereiro de 2009

Apagar.

Errar é humano, mas errar sabendo que se erra incessantemente, é pura burrice.

Hoje queria esquecer que existo.
Erros atrás de erros. Sei que me deixo levar pela triste imprudência, sei que estou e não sinto minimamente. E no entanto não me atrevo a parar antes. Ainda que pare a meio. E tudo sem sentido algum!!! Queria poder apagar tudo de mau que me tem sido, e apenas a mim me culpo...
Estou farta de mim. Preciso de férias da minha infeliz maneira de viver. Preciso de ser mais eu.
Preciso de ti, apenas.


Salva-me enquanto desconheces isto em mim... :(